Terapia Cognitiva

A TERAPIA COGNITIVA foi desenvolvida por Aaron Beck (1960), na Filadélfia, onde ainda trabalha, no Instituto Beck. Comprovada cientificamente sua eficácia para o tratamento dos Transtornos do Humor e Psiquiátricos. Tem como objetivo a reestruturação cognitiva, por meio da flexibilidade dos pensamentos disfuncionais e crenças das pessoas, que apresentam distorções em sua maneira de pensar, sentir, agir e interagir. Além da aplicação de técnicas e habilidades na resolução de problemas, que proporciona a estabilização emocional, comportamentos adaptativos e funcionais, através da plasticidade cerebral, para melhor QUALIDADE DE VIDA.

Aaron T. Beck ( 18/07/1921)

A crença que temos sobre nós mesmos, sobre o mundo e o futuro, determinam o modo como nos sentimos. Assim o processamento de informações é baseado em esquemas, com crenças nucleares de desamor, desamparo e desvalor, como modelo de funcionamento humano.

Tríade Cognitiva, processamento de informações, com distorções cognitivas.
“O que perturba o Ser Humano não são os fatos, mas a interpretação que ele faz dos fatos.” (Epitectus – Sec. I)

A Terapia Cognitiva, é uma terapia breve, estruturada com planejamento de intervenção, diretiva e colaborativa, usa o questionamento socrático, é psicoeducativa, pois o paciente aprende a ser seu próprio terapeuta, ou seja, adquire a prática da “AUTOTERAPIA”.

Fazer Terapia, é um convite à reflexão e ao autoconhecimento, que proporciona alívio do sofrimento emocional, com pensamentos mais flexíveis para entender os problemas e dificuldades, desenvolver habilidades, aprender a lidar com as situações de conflitos, mudar comportamentos, por meio de atitudes e obter prazer nas atividades do seu dia a dia, sendo assertivo e resiliente.

Depressão

Depressão, transtorno de humor.

As pessoas com baixa autoestima, perda de interesse e motivação, tristes, desesperançosas, isolamento social e sem energia para iniciar ou fazer atividades, que antes tinha prazer, tendem a interpretar os fatos de forma negativa e distorcida da realidade, não conseguem visualizar alternativas de soluções para seus problemas. Assim apresentam alto grau de incapacitação em todas as áreas da vida e, segundo a Organização Mundial de Saúde, é o mal do século. Libertar destes sintomas é fundamental para aliviar os sofrimentos, com pensamentos e comportamentos funcionais, que geram QUALIDADE DE VIDA E SAÚDE MENTAL.

Ansiedade

Ansiedade, gerada pela vulnerabilidade, superestima os fatos e subestima a capacidade de enfrentamentos. ” E se…” eu não conseguir…antecipa os acontecimentos…

Ansiedade, em essência, significa preservação da vida, mas quando ficamos ansiosos, nosso corpo se prepara para uma reação de “LUTA ou FUGA”. Assim ocorre alterações físicas como: taquicardia, tremor, sudorese, boca seca, respiração ofegante, dor muscular, frio na barriga, tontura e outros.
A pessoa ansiosa com dificuldades de relaxar e se concentrar , apresenta pensamento disfuncional e catastrófico, acreditando que algo de ruim pode lhe acontecer. Diante da situação e sintomas físicos, a sua vulnerabilidade aumenta a intensidade das ameaças físicas, psicológicas e diminui sua capacidade de enfrentar a situação temida. Então, precisa aprender a controlar a ansiedade, para melhorar sua dinâmica de funcionamento pessoal social e profissional.

Compulsão Alimentar

Autocontrole, é o esforço concentrado para inibição dos impulsos e pode ser aprendido.
  • Você pode tomar uma atitude sem pensar e, então…
  • Você decide aceitar que…pode…
  • O mundo não gira em torno de mim.
  • Eu não preciso ser perfeito em tudo.
  • Nem tudo é do jeito que eu quero.
  • Eu não tenho o controle de tudo, que se passa a minha volta.
  • Errar faz parte. Eu escolho aprender com os meus erros e seguir adiante, em frente, ou seja enfrentar às situações conflituosas em meu cotidiano.
  • MATURIDADE, pode ser definida como o intervalo entre o impulso e a ação. (Daniel Goleman – Inteligência Emocional)

Quando ajudamos os pacientes a identificar seu pensamento disfuncional, ajudamos a obter perspectivas mais adaptativas e, especialmente a prática de examinar a validade e a utilidade de seus pensamentos.” (www.beckinstitute.org)

Nosso objetivo é ensiná-lo a ser seu próprio terapeuta e manter a terapia curta, então Terapia Cognitiva pode ser o melhor investimento que você poderia fazer.”(www.beckinstitute.org)

Beck, “Pai da Terapia Cognitiva”, minha inspiração profissional! Amo Ser Psicóloga Cognitiva! Amo o que faço e faço com amor, dedicação e persistência, pois acredito nas mudanças que podem ser proporcionadas, de forma colaborativa do paciente, ao seu desenvolvimento como Ser Humano!